A importância da certificação Anvisa

Certificação Anvisa

Quando o assunto é saúde, é de extrema importância saber a procedência e quais tipos de avaliações o produto foi submetido. Os testes servem para que a Vigilância Sanitária determine, mediante avaliações científicas, se os produtos cumprem as funções prometidas e se nenhuma contra-indicação há no seu uso. Para isso, há um número de registro junto ao órgão, sendo importante a sua observação.

Não importa se os produtos em questão são medicamentos ou equipamentos, tudo deve ser previamente referendado pelo órgão competente do governo. Desde remédios mais simples como analgésicos até materais cirúrgicos no Rio de Janeiro, que é um grande centro consumidor e de relevância nacional, é fundamental que tudo esteja catalogado. A Ouvidoria da Anvisa recebe denúncias de produtos não legalizados.

Como é feita essa certificação

 

São diversos os processos até um produto ser liberado para o uso. A primeira situação a ser solucionada é em relação ao funcionamento operacional da empresa. Quem deseja iniciar um registro junto à Anvisa deve:

  • Ter a AFE – Autorização de funcionamento da empresa
  • Ter a LF – Licença de Funcionamento
  • Ter a BPFC – Boas Práticas de Fabricação e Controle

Após seguir esse padrão, a Anvisa faz a identificação do produto mediante avaliação de classificação, observando classe e regra, relatório de informações econômicas e certificado de conformidade junto ao INMETRO. Assim, será possível saber se todos os níveis de qualidade são atendidos de acordo com as próprias especificações do produto.

Outra importante classificação feita pelo órgão é o posicionamento em relação às classes. Os produtos são avaliados e inseridos nas classes II, III e IV podendo ser fabricados no país ou importados. A Anvisa também exige que instruções básicas de funcionamento constem no rótulo do produto.

A sua segurança também depende de você

Uma vez que você já sabe como avaliar um produto, é fundamental não fazer uso quando estes não respeitarem os padrões ou ignorarem as metas de qualidade. Parte da fiscalização cabe ao próprio usuário, que pode intervir e denunciar se algo não estiver de acordo. Use apenas materiais cirúrgicos certificados, que você encontra na Axiste.