Bichectomia, procedimento estético e cirúrgico em alta no Brasil

Bichectomia

Líder mundial em cirurgias plásticas, o Brasil vivencia um momento em que uma delas desponta como a febre do momento, com procura muito próxima das consagradas lipoaspiração e implante de silicone nos seios. Trata-se da bichectomia.

A bichectomia é uma cirurgia plástica realizada para a retirada parcial ou total das duas bolsas de gorduras que ficam nas bochechas, chamadas de bolas de Bichat.

Essas bolsas, formadas por gordura, estão presentes em todas as pessoas, magras ou acima do peso. A finalidade dessa cirurgia é diminuir o volume que fica na parte de baixo do rosto para afinar o queixo, ou seja, totalmente estética.

Para alguns profissionais o procedimento cirúrgico é controverso, pois como essa região do corpo já perde gordura normalmente com a idade, a cirurgia pode dar uma aparência envelhecida ao rosto, sobretudo quando a cirurgia é total.

Indicações e contraindicações

Bichectomia

Como se trata de uma cirurgia estética, são indicadas para pessoas que querem afinar o rosto, por isso, geralmente as pessoas acima do peso são as que mais procuram pelo procedimento, embora não seja regra.

A bichectomia é um procedimento que requer todos os cuidados médicos, pois envolve a utilização de materiais cirúrgicos, devendo ser realizada por um um cirurgião plástico especizalizado.

Condições e contraindicações para a bichectomia

Tudo começa com a necessidade de uma avaliação clínica com profissional responsável por realizar a cirurgia, pois ele precisa verificar as indicações e as expectativas do paciente em relação ao procedimento.

Como se trata de uma cirurgia, o paciente precisa fazer os exames pré-cirúrgico, como hemograma, coagulograma e glicemia, além de passar pelo cardiologista. Só assim, será possível verificar as condições de saúde para a realização da bichectomia.

As pessoas com doenças infecciosas ativas são contraindicadas a fazer a cirurgia, bem como os pacientes com expectativas irreais sobre o procedimento, se forem avaliadas dessa forma por um psicólogo ou psiquiatra.

Como é feita a cirurgia

O mais comum é a cirurgia intraoral, ou seja, quando o corte é feito dentro da boca. Assim, as mucosas bucais têm cicatrização melhor e não deixam marcas. Nesse caso, o paciente recebe anestesia geral ou local e sedação. O médico busca as marcas anatômicas da boca que indicam a localização das bolas de Bichat, para fazer o corte.

A cirurgia de bichectomia também pode ser feita junto com outro procedimento cirúrgico que use a incisão na pele, como no caso do lifting facial. Nesse caso,, o médico aproveita e remove as bolas de Bichat enquanto levanta a pele do rosto.

A duração do procedimento cirúrgico depende da experiência do médico e de possíveis complicações, mas correndo tudo bem, dura entre uma hora e uma hora e meia.

A complicação que pode existir na cirurgia de bichectomia, é a danificação do nervo trigêmeo, que é um dos responsáveis pelas sensações do rosto, que, se danificado, pode causar até paralisia facial. Por isso, procure sempre um médico experiente antes de qualquer tipo de cirugia.

Material cirúrgico no Rio de Janeiro

A Axiste é uma empresa de materiais cirúrgicos no Rio de Janeiro, que oferece todos os materiais para cirurgias. Os materiais cirúrgicos da Axiste são desenvolvidos com a mais alta tecnologia para garantir a melhor qualidade para os profissionais médicos.